quinta-feira, 1 de maio de 2014

Grao a grao... assim nasce o Pao

Lá vai o carro do padeiro
fazendo a entrega do pao
fofo, fino, fresco, forte
dia a dia, verao a verao

Pao que alimenta crianças
Pao que avigora jovens
Pao que nutre homens
Pao de força
pao doce
Pao
Entregue
casa a casa, porta a porta
familia a familia
para alimentar todos
no afã diario do amor

Quanta massa ja foi feita
sob peso e sob medida
para trazer bem nutrida
a massa que se deleita

Mas... Será que a massa viva
Que fermenta e tanto cresce
Realmente ja conhece
De verdade o pao da vida?

Quanto pao ja servido
E quanto homem desnutrido!

By: Martha Francisca Scripes


A história do pao é tao antiga que é dificil dizer com precisao, quando e como ele apareceu. Historiadores, no entanto, estimam que o pao tenha surgido á cerca de 12 mil anos, juntamente com o cultivo do trigo na regiao da Mesopotania onde atualmente se encontra o Iraque.

Nos primordios, estima-se que o trigo fosse mastigado e so mais tarde com o aproveitamento das correntes dos rios e das ribeiras, junto aos quais se construiam moinhos este passou a ser moido e transformado em farinha.

Mas antes mesmo de surgir os primeiros paes, pensa-se que as farinhas dos diversos cereais, eram usadas em sopas e mingaus cozidos na agua, aos quais mais tarde se passou a misturar também o mel, azeite doce, o sumo de uva, as tamaras esmagadas, as carnes e os ovos, e assim se formavam uma especie de bolos  que eram assados sobre pedras quentes ou cinzas. E foram estes bolos que deram origem ao pao propriamente dito.

O primeiro pao era feito de farinha misturado com o fruto do carvalho e eram bem diferentes dos de hoje, achatados, duros e secos, nao podendo ser comidos logo depois de prontos uma vez que eram demasiado amargos, tinham de ser lavados varias vezes em agua fervente, antes de fazer broas que eram expostas ao sol para secar, sendo assados da mesma forma que os bolos, em pedras ou cinzas quentes.

7000 Anos antes de Cristo julga-se que foram os Egipcios a usar pela primeira vez fornos cosntruidos em barro, também a estes se deve a descoberta do fermento, dado que as primeiras evidencias do uso de pao fermentado foram encontradas no Antigo Egito por volta do ano 3000 Antes de Cristo, embora algune historiadores discordem disto, e pensem que na pre historia o pao ja seria alimento humano, sendo esta desconfiança baseada no fato de que os fungos responsaveis pela fermentaçao estao em todos os lugares incluindo nos cereais, bastaria assim alguem esquecer de colocar a massa de pao humida a secar por alguns dias para que esta fermentasse naturalmente.

Ora com o passar do tempo, as pessoas passaram a deixar um pouco de massa do pao que amassavam hoje, para que esta servisse  de levedura para o pao de amanhã.

Com as trocas comerciais entre os gregos e os egipcios o pao acabou por chegar á Europa 250 anos Antes de Cristo, nao demorando muito para se tornar tb alimento na roma antiga chegado a ser preparado em padarias publicas.

Com o inicio da Idade Media por volta do ano 476 depois de Cristo, as padarias acabaram e a produçao do pao voltou a ser caseira. O retrocesso nessa epoca foi tanto que as pessoas voltaram a comer pao sem fermento.

Mais tarde no seculo XII as coisas começaram a melhorar na França e no Seculo XVII este mesmo pais  destacou-se como centro mundial de fabricaçao de paes, aprimorando tecnicas de panificaçao que perduram ate aos dias de hoje.

Fonte: www.invivo.fiocruz.br



 E eu após muito pensar que pao apresentar, fui ás origens e aos primordios aqui da minha pequena vila, onde em quase todas as casa existia um forno de lenha e as pessoas amassavam o trigo, o milho, a aveia, o centeio ou a cevada, muitas vezes sendo um pao com estas misturas de farinhas todas e coziam as broas que lhes davam para alimentar a familia muitas delas com mais de 10 filhos. Decidi-me pelo simples pao de trigo amassado e cozido em forno de lenha, ao qual se pode dar a forma que tivermos vontade e que muitas vezes serve mesmo de jantar com algum recheio onde nao faltam as ervas aromáticas e o azeite a lembrar a zona do Mediterrânio.


E com este simples pão participo em mais uma ediçao do grupo Dia 1 ... na cozinha, se ainda nao conhecem toca a aparecer.

Beijocas 

Margarida

* Desafio no blog a decorrer até ao dia 1 de Junho ver AQUI


24 comentários:

Sofia Arcângelo disse...

Ficou lindo! Adorei :) Levo a receita comigo! Beijinhos

Mariana Teixeira disse...

Que aspecto fofo Margarida e nada como um pãozinho feito num forno a lenha, ficam bem mais apetitosos e de sabor único. Obrigada pela partilha do post da historia e do pãozinho

beijinho e bom feriado!

Receitas da Belinha Gulosa disse...

Mas que post maravilhoso amiga, adorei muito mesmo :), que rica história, que ricas tradições que temos, bjokitas

Brisa Maritima disse...

Minha querida Margarida,

Um pãozinho de todos os dias, um pãozinho que não pode nunca faltar na mesa e que enriquece qualquer refeição !
Ficou lindo, adorei a tua participação e a tua publicação onde li e aprendi !
Obrigada, amiga, pela tua fiel companhia ! :)

Um grande beijinho *

Isabel Patrício disse...

Margarida,
o teu pão faz-me lembrar o pãozinho que a minha avó fazia quando era criança.
Lembro-me de ver sair do forno a lenha, "pazadas" de pães cheiroso e deliciosos.
O teu fez-me recordar momentos preciosos.
Bjns amiga
Isabel

Masterchef de Algibeira disse...

São ideias maravilhosas para fazer com o pão... é sempre bom, simples ou com recheios.. :) acho que nunca me vou fartar de pão.. :)
beijinhos e bom feriado

Prata da casa disse...

Querida Margarida: cozido em forno de lenha há lá nada melhor!!! O gostinho e o cheiro são inconfundíveis!! O teu pão está simplesmente perfeito e eu ia adorar "roubar" uma fatia ,para comer barrada com muiiiita manteiga,rsrs.
Bjn
Márcia

Paula Vieira disse...

A receita é simples, mas as variantes que nos mostras, são inúmeras e qualquer uma delas, fazem um pão bem delicioso, reconfortante e que sabe bem assim acabadinho de sair do forno.

Belas fotos amiga.

Beijocas

Paula

Josy disse...

Querida Portuleirinha, pães assim que gosto. Simples, aromáticos e com uma manteiga ou geleia já me faz feliz. Ficou lindo seu pão. Vou levar uma fatia ah se vou hehehe. Gostei muito de saber mais sobre o pão, e da poesia no inicio.Beijinhos, ótimo final de semana

Comida de conforto disse...

Que bela história do pão, Margarida! E que maravilhoso pão, que lembra tanto o pão que comia na infância..
Beijinhos

Cozinha em sarilhos disse...

Eu gosto mesmo muito de pão e este está mesmo bom! Deve ser optimo para molhar no azeite...hummm :)

Mª João - Ponto de Rebuçado Receitas disse...

Que lindo, querida! Já há que tempos que aqui não vinha e tinha saudades de te ler... o teu pão está super fofo e apetitoso!
Beijinhos

Andréa disse...

Margarida minha querida,
não dar pra ficar sem um pãozinho, ele faz parte de nossas vidas.
O teu ficou lindo e pela receita delicioso!

Bjs, sucessos sempre ♥

Coisas e Coisinhas disse...

Uma receita simples e deliciosa Margarida! Que maravilha :)
Esta vou levar comigo e acredito que a vou pôr em prática com os mais variados recheios :)
Beijinhos *
Vânia
P.S: Hoje, lá pelo blog, é dia de "Há vida para além da massa de atum" e temos desafio a decorrer. Está a poucos dias de terminar o repto que lançamos este mês mas ainda gostava imenso de poder contar com a tua participação :)
http://www.coisasecoisinhasdecomerechorarpormais.blogspot.pt/2014/05/ha-vida-para-alem-da-massa-de-atum-5.html

Tertúlia da Susy disse...

Um pão cozido em forno de lenha tem sempre outro sabor!
Bjs

Paula Matos disse...

Olá,
Uma receita muito boa, adorei.
Beijinhos
Paula

sandra neiva disse...

Olá margarida,

sem pão não passo e sendo eu uma gulosa assumida quando vou à pastelaria lanchar é sempre um pão, nunca um bolo, adoro experimentar vários tipos, ainda esta semana descobri um com nozes e passas que é fantástico.
Que interior lindo e fofo tem este teu pãozinho, perfeito para o dia a dia, faço um bastante parecido com este, ou até acho que é a mesma receita:)

beijinhos e um bom fim de semana

Sofia disse...

Olá Margarida,

adorei o teu pão. Ficou fantástico e vou levar a receita comigo.
Parabéns pela tua participação.

Um beijinho

Rita Sperchi disse...

Verdade mesmo minha linda de grão em grão se faz o bom gostei da rima, e do pão melhor ainda, um post lindo e delicioso ameiiii


Um bom final de semana
Bjusss
** Rita **

Sílvia Martins disse...

Esse interior ficou tão bom! Perfeito, Margarida!
Parabéns pela participação!
Beijinhos

Sílvia
http://bocadinhosdeacucar.blogspot.pt/

Entre Tralhas e Panelas disse...

Que belo pão :)

Célio Cruz | Sweet Gula disse...

Olá Margarida!
Que pão delicioso que nos trazes. Um pão cozido em forno de lenha, mas que grande privilégio. Fez-me viajar até à infância e recordar o cheiro do pão amassado e acabado de cozer que a minha mãe também fazia no forno a lenha. Gostei muito. ;)
Beijinho.

Lena Santos disse...

Que saudades de pão no forno..... cresci a comer pão feito pela minha avó e depois pela minha mãe, mas o tempo passa, a minha avó já não está cá e a minha mãe já não tem forças nos braços, eu deveria continuar não é?? e continuo mas sem o forno a lenha porque não o tenho
Adorei o teu pão tão simples mas que me fez recordar tempos que já lá vão....
Beijokas

Marisa Cunha disse...

Gostei muito deste pãozinho, principalmente por ser em forno de lenha, parece que tem logo outro sabor =)

Beijinhos,
Marisa - Doce Sobre(a)mesa