sexta-feira, 10 de maio de 2013

Pao branco da Branca de Neve com soro de kefir


Bom dia, bom dia gente mais linda do mundo e arredores!!!
Ontem mais uma vez foi dia de nao visitar ninguem... Vida corrida esta!!!
Todos os anos por o dia de ontem é tradiçao aqui em casa irmos lanchar a casa da minha sogra, juntamo-nos com os meus cunhados e sobrinhos e assim comemoramos os dia da espiga.

É um dia que me faz recuar á minha infancia, quando o lanche era em casa da minha avó, e me sentava deliciada a ouvir as historias que ela contava sobre este dia, grane feriado de antigamente, e com ela saia pelos campos fora a apanhar a espiga, que era atada com preceito com uma fita de seda e virada para baixo pendurada numa parede e ali ficavam 1 ano inteiro...
Lembro-me tb de nesse dia ser guardado um papo seco dentro de um armario e acreditem ou nao, 1 ano depois comiamos esse pao rijo mas sem uma ponta sequer de bolor,  creio que a minha mae ainda hoje mantem essa tradiçao.


De acordo com o calendário litúrgico cristão, na Quinta-Feira de Ascensão comemora-se a ascensão de Cristo Salvador ao Céu, após ter sido crucificado e ter ressuscitado. Esta data móvel encerra um ciclo de quarenta dias após a Páscoa. Lá diz o adágio: "Da Páscoa à Ascensão, 40 dias vão."
Na Quinta-Feira de Ascensão celebra-se igualmente o Dia da Espiga. Era tradição e igualmente superstição [2], as pessoas irem para o campo neste dia, para apanhar a espiga de trigo e outras plantas e flores silvestres. Faziam um ramo que incluía pés de trigo e/ou centeio, cevada, aveia, um ramo florido de oliveira, papoilas e margaridas.
O ramo tinha um valor simbólico. Simbolizava a fecundidade da terra e a alegria de viver. As espigas simbolizavam o pão e a abundância, as papoilas o amor e a vida, o ramo de oliveira a paz e as margaridas o ouro, a prata e o dinheiro.
Nalguns locais, o ritual da colheita da espiga era muito preciso. Na 5ª Feira de Ascensão, devia ir-se ao campo, do meio-dia para a uma hora, colher flores de oliveira, espigas de trigo e flores amarelas e brancas, tudo em número de cinco. Deviam rezar-se igualmente cinco Padres-Nossos, cinco Ave Marias e cinco Gloria Patres, para que durante o ano, houvesse sempre em casa, azeite, ouro e prata. [6]
De acordo com a tradição, o ramo devia ser pendurado dentro de casa, na parede da cozinha ou da sala, aí se conservando durante um ano, até ser substituído pelo ramo do ano seguinte. Havia a crença que o ramo funcionava como um poderoso amuleto que trazia a abundância, a alegria, a saúde e a sorte. Lá diz o adágio: "Quem tem trigo da Ascensão, todo o ano terá pão." E porquê? Porque se acredita naquilo que diz o cancioneiro popular alentejano:

"Tudo vai colher ao campo
Quinta-feira d'Ascensão,
trigo, papoila, oliveira.
p'ra que Deus dê paz e pão." [4]

"Quinta-feira de Ascensão
As flores têm virtudes,
Quis amar teu coração,
Fiz empenho mas não pude." (Évora) [3]

Estava de resto, arreigada a superstição de que era bom colher certas flores e plantas medicinais na Quinta-Feira de Ascensão, antes do nascer do Sol. [2] Existia igualmente a crença de que os ovos postos pelas galinhas, entre o meio-dia e a uma hora da Quinta-Feira de Ascensão, nunca apodrecem e têm a virtude de curar doenças e suprimir dores. [2] Acreditava-se também que o queijo feito na Quinta-Feira de Ascensão era medicamento eficaz contra as sezões. [1] Existia ainda o convencimento de que o vento que na Quinta-feira de Ascensão, soprasse à uma hora da tarde, era o que sopraria durante todo o ano. Existia finalmente a convicção de que era bom comer carne na Quinta-Feira de Ascensão, de acordo com adágio:

“Em Quinta-Feira de Ascensão,
Quem não come carne
Não tem coração;
Ou de ave de pena,
Ou de rês pequena.” [2]

A origem festiva do Dia da Espiga, coincidente com a Quinta-Feira da Ascensão, é muito anterior à era cristã. Na verdade, este dia é um sucessor claro de rituais pagãos, praticados durante séculos, por todo o mundo mediterrâneo, em que grandiosos festivais de cantares e danças, celebravam a Primavera e consagravam a natureza. Neles se exortava o eclodir da vida vegetal e animal, após a letargia dos meses frios, bem como a esperança nas novas colheitas. O Dia da Espiga era assim como que uma bênção aos primeiros frutos e marcava o início da época das colheitas.
A Igreja, à semelhança do que fez com outras ancestrais festas pagãs, cristianizou o Dia da Espiga. A data atravessa assim os tempos com uma dupla significação:
- como Quinta-feira de Ascensão, para os cristãos, assinalando, 
a ascensão de Jesus ao Céu, ao fim de 40 dias;
como Dia da Espiga, traduzindo aspectos e crenças não 

religiosos, mas exclusivos da esfera agrícola e familiar.

Actualmente poucas são as pessoas que ainda se deslocam ao campo na Quinta-Feira da Ascensão para apanhar o ramo da espiga. Mas aquelas que vão, têm dificuldade em constituir o ramo, sobretudo pela dificuldade em recolher pés de cereal, raros a partir do momento em que os nossos agricultores receberam dinheiro de Bruxelas para deixar de cultivar. Apesar de tudo, há quem consiga cumprir a tradição. E há também quem faça negócio com a tradição, colhendo e vendendo ramos de espiga na cidade. Apesar do mercantilismo deste biscate em tempo de crise, é um contributo para a preservação da tradição. Actualmente, também são poucas as pessoas que se deslocam à Igreja para participar nos deveres religiosos inerentes à data. Todavia, houve tempos em que a data, das mais festivas do ano, era repleta de cerimónias sagradas e profanas, que chegavam a implicar a paralisação laboral. Existia mesmo a crença que em Quinta-Feira de Ascensão, os passarinhos não vão aos ninhos. [1] Daí também o adágio: “No Dia da Ascensão nem os passarinhos bolem nos ninhos”, o que está de acordo com o cancioneiro popular:

“Se os passarinhos soubessem
Quando é dia d'Ascensão,
Nem subiam ao seu ninho,
Nem punham o pé no chão.” [5]

Existia igualmente a crença de que na Quinta-Feira de Ascensão, os pássaros não iam ao ninho desde o meio-dia até à uma hora, que era o período de orações nas festas da Igreja. Consta, que antigamente, finalizadas essas orações, era costume soltarem-se passarinhos do coro e das tribunas, e espargirem-se flores desfolhadas sobre os fiéis. [6]
Por vezes chove na Quinta-feira de Ascensão, o que originou a convicção de que em chovendo na tarde de Quinta-Feira de Ascensão, as nozes apodrecem e os frutos sairão pecos. [6] O adagiário, regista, de resto a crença de que “Água d'Ascensão, tira o vinho e dá o pão”, assim como“Chuvinha da Ascensão, dá palhinha e dá pão” e também “Quinta-feira da Ascensão, coalha a amêndoa e o pinhão”.




Ora bem e aqui por casa as experiencias com o kefir continuam, e desta feita trago um pao que fiz com o soro que ficou quando fiz o queijo grego, pois, nao se espantem,,, o kefir da para fazer queijo sim... tem um sem numero de coisas maravilhosas que tenho descoberto por essa net fora!

Adiante que isto hoje ja vai longo!!!

*Soro de kefir 
*1 frasco de creme de soja
*1 pacote para pao branco da Lusitana
*100 gr de farinha de trigo
*30 gr de fermento biologico fresco
*sal
*2 ovos

No copo da bimby coloquei o fermento, o soro, o creme de soja e os ovos 3mim/vel3/temp37

Adicionei as farinhas e o sal 2mim/vel espiga. 

Deixar levedar cerca de 30 minutos (eu deixei dentro do copo da bimby)


Modo tradicional - desfazer o fermento no soro de kefir, adicionar o creme vegetal de soja e os ovos, bater bem. Adiconar as farinhas sovar bem a massa e deixar dobrar de volume.

Verter para uma forma a gosto, untada ( no meu caso eu recheei com um resto de lombo que tinha no frigorifico e se estava a estragar, mas simples fica muito bom)

Levar ao forno até estar cozido, eu fiz no forno de lenha  demorou cerca de 40 minutos!




E aqui deixo a minha sugestao!

Beijocas

Margarida

26 comentários:

flor do brownie disse...

Ficou com um aspecto bem guloso!
http://flordobrownie.blogspot.pt/

Cuca disse...

Que grande pão!!! Ficou com óptimo aspecto :)


Beijinhos e bom fim-de-semana*

Lena Santos disse...

Olá Margarida

Já levava uma fatia desse belo pão
Bjkas

Carla Sofia disse...

Olá
Otimo esclarecimento e um pão muito apetitoso.

Beijinhos
Carla Sofia
http://amadeirensecarlasofia.blogspot.pt

Filomena Conceição disse...

Hum... que delícia, Margarida!
O kefir está a surpreender-me!
Bom fim-de-semana!

Mª João - Ponto de Rebuçado Receitas disse...

Ai Margarida, que maravilha de pãozinho... tão fofo e apetitoso!
Tenho de arranjar kefir...
Beijinhos, querida, tem um ótimo dia!

Elsa disse...

E é uma deliciosa sugestão, amei.
Beijocas

Guloso e Saudável disse...

Bom dia Margarida,
Muito interessante, informativo o post, quanto ao pão com tanta história só pode ser delicioso.
Bom final de semana, beijo,
Vânia

Um toque de canela disse...

Um pãozinho delicioso! As coisas com kefir ficam mesmo uma delicis, não?!
Bjs e bom fim de semana!
Paula

Ratatuis disse...

Olá Margarida,
O blog está lindo! Já cá não vinha há imenso tempo e gostei deste novo look. Passei para relembrar das tuas delicias e deixar um beijinho
;) Eulália (a matar saudades das amigas virtuais)

Paula Vieira disse...

Pão branco, não me parece, tem lá qualquer corsita no meio, bem gulosa!

E o soro aproveitastes do queijo/ricotta?

Beijocas

Paula

Magda disse...

Olá Margarida querida!
Delícia, como tudo que você faz!
Parabéns pela maravilhosa postagem!
Beijinhos na turminha do zoo...rs
Beijos!

Formiguinha disse...

Olá Guidinha:)

Tiveste uma bela ideia para o pão, parece um bolo e acredito que ficou delicioso. Ainda não vi nem provei kefir:)

Bom fim-de-semana!
Beijinhos

Aim'Art disse...

Margarida, parece-me muito bem. Beijinhos e um ótimo fim de semana para ti!

Sileni Machado disse...

Que belo pão, minha amiga! E o melhor de tudo que é feito com kefir que é ótimo para a saúde!
Adorei conhecer sobre o dia da espiga! Vivendo e Aprendendo, rs.
Agora vou correndo lá na tua rubrica que ontem foi aniversário da minha mãezinha, passei o dia com ela e não visitei os blogs amigos.
Ótimo fds pra vc! :)
Bjssss
www.viveraprendendo.com

Rosinha Benvenga e Teresinha Putrini Bortolotto disse...

oi Margarida,tem um fatia eu queroooooo bjs Rosinha

Comida de conforto disse...

Que belo bolo salgado, Margarida! Tem um aspecto tão fofinho...
Beijinhos

marie france disse...

Olá Margarida,
Esse pão deve ser delicioso!
Mas olha um deste passo por ai para pedir um pouco
de kefir, esta bem Margarida! Bjs

Lenita disse...

Olá Margarida,
acho a tradição de fazer o raminho da espiga tão bonita, em miúda fazia com a minha mãe.
Aqui no norte não é conhecida e fazer o raminho também se otrna dificl, não há as espigas de cereais, as papoilas são escassas... adorei recordar!
Menina que bolo incrível! Ai que fome!
Usaste a Bimby e tudo!
Bjs

Léia disse...

Oi Margarida, ja passei por aqui ontem e não consegui comentar.Hoje ainda estou com dificuldades, minha internet não termina de carregar seu blog e ainda fica travando.Por isso farei brevemente.Seu pão ficou maravilhoso.Amanhã será o dia das mães aqui no Brasil por isso quero te desejar um dia cheio de paz e alegrias.Que Maria te cubra com seu manto.Beijos querida.

Felipe Huszar disse...

Olá Margarida, como vai querida?

Desculpa, tem um tempinho que não passo aqui. Não só aqui, como nos blogs do pessoal! As vezes simplesmente são muitas coisas para fazer ao mesmo tempo rsrs.

Você adora fazer bolos/pães né? Ficou ótimo!

Beijos
Felipe
http://www.mundogastronomic.com.br

Cozinha de Mulher disse...

Bom dia minha amiga mais que linda..
Eita.. que eu perdi coisas demais esses dias..
Tantas delicinhas.. Hummmmm
Mas já coloquei minha leitura em dia kkkkk
Babei um pouco confesso rsr

Um super beijo minha linda.. e um domingo hiper fofo ao lado da familia linda..

Nina Paim disse...

Vejo que esse pão ficou uma gostosura! Manda o meu pedaço...estou aguada de vontade. Feliz dia da mamãe mais uma vez.....beijinhos querida.

Ingrid Pimenta disse...

Nhamim! Quero um pedacinho desse pãozinho Branca de Neve rsrs
Parece delicioso! Oba!

Beijocas,
Ingrid http://pimentanacozinha.blogspot.com.br/

Brisa Maritima disse...

Olá amiga,

Quando era miúda sempre comemorava o dia da espiga, inclusivamente havia bailes da espiga aos quais nunca faltava !
Mas agora confesso que não ligo muito, é uma tradição que tem pouca expressão por cá e só as pessoas de mais idade ainda apanham a espiga e cumprem esse ritual ! :)

O teu pão está com uma textura maravilhosa, ficou lindo, douradinho e altamente apetecível ! :)
Perfeito !

Beijinhos

Isabel
www.blogdochocolate.com
http://brisa-maritima.blogspot.pt

Paulo Herculano disse...

Que espectáculo, está com tão bom aspeto, a fatia era para mim, mas bolas vim tarde :(

Beijos