segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Pao de trigo

Nada tem de anormal, faze-lo é algo banal, quer nas maquinas e robot's existentes, quer com uma simples batedeira, quer mesmo como eu á mao, á moda antiga!

Em tempos idos, o pao era amassado numa "gamela" uma bacia de madeira, podendo esta ser redonda ou quadrada, lembro-me que em casa dos  meus avós havia algumas de varios tamanhos, mediante a medida de pao que se iria cozer na altura.

Lembro-me da minha avó encher o sarrao...
 Nao sabem o que é um sarrao?? 
Eu explico, um sarrao era um saco feito de pano, nao tinha nenhuma medida especifica, e era nesse sarrao que iam o milho, o trigo, o centeio para os moinhos de agua que existiam á beira do rio Alva, o rio que banha a minha terra, deles hoje so existem ruinas pouco mais. Mas...
Voltando entao aos sarroes é a minha infancia, a minha avó enchia o sarrao de milho e em dia marcado lá vinha a "Dona Ana" montada numa carroçita puxada por um burrito, e nesse dia ja deixava á porta da minha avó um sarrao de milho moido e levava outro que em determinado dia vinha entregar e assim se fazia a troca, e assim foi durante muitos anos, se calhar das memorias da minha infancia ja pouco foi, nao tenho noçao de quando a "Dona Ana" deixou de passar com a Burrita, mas entretanto nos mercados começaram a aparecer os pacotes de farinha que ainda hoje existem...

Nao pensem que a farinha vinha ja pronta a ser usada, nada disso, ainda com uma peneira tinha que a peneirar, para escolher o farelo, e entao depois sim, era usada para as mais diversas coisas, desde a "Papa Laberça" prato tradicional aqui da minha terra (se tiver tempo no proximo fds eu farei para postar) para a migada das galinhas (a migada nao passava de couves migadas com batatas cozidas nas panelas de ferro que se colocavam á beira das lareiras , e minha gente tenho que vos ser sincera nunca na minha vida umas batatinhas me souberam tao bem, como as que eu surripiava da panela das galinhas e comia... chamei-me o que quiserem, chamem lá a ASAE, mas eu cresci e os sabores daqueles tempos perderam-se com o tempo, e depois para engrossar mais um pouco lá se usava uma maquia de farinha, tudo misturado e lá ia com a minha avó ás galinhas levar a migada... Saudades). E depois lá vinha o dia de cozer o pao.
Antigamente nao existiam fornos de lenha nas casas como temos hoje em dia junto de uma churrasqueira geralmente temos um forninho, muitas vezes mais para fazer vista, ehehehe, mas as pessoas iam para as padarias, é verdade, leram bem, muita gente ia para as padarias aqui da terra (hoje temos sei lá quantas, mas antigamente eram so duas padarias), ou como havia quem ja tivesse desses fornos pediam emprestados por uma tarde e levavam a gamela com a broa amassada para esses locais.

Hoje eu nao faço o que faziam antigamente, mas amassar a broa tinha o seu preceito, nao era de qualquer maneira, e quando chegavam ao final antes que essa fosse levedar diziam-se oraçoes que variam de terra para terra ou de gentes para gentes, a minha mae ainda hoje quando acaba de amassar o trigo (ja nao fazemos a broa) faz com a mao direita uma cruz na massa e diz: 

" Nosso senhor te acrescente!
S.Joao te faça bom pao! 
Em louvor de Nossa Senhora, Pai Nosso e Avé Maria"

Outras ha como a minha sogra que quando acaba de amassar o pao dela diz, enquanto faz uma cruz em cima deste:

"Sao Clemente te acrescente
Sao Mamede te levede
Deus te dê virtude
Eu por mim fiz o que pude" 

Ainda outras pessoas alem desta oraçao no final com a mao direita todas aberta tocando com os dedos na massa dizem:

"Pelas 5 chagas de Cristo, que tenhas bom sabor"

Outros rituais existiram, confesso que eu nao faço nenhum deles, mas quando acendo o forno grande de lenha para cozer o pao, tenho sempre o cuidado de colocar a pá (onde levamos o pao ao forno) virada para cima, para o pao crescer.

Mas este paleio todo para vos falar deste pao de trigo que estava delicioso, e, embora eu tenha a bimby, ainda continuo a gostar de meter as maos na massa e sentir a transformaçao da massa no seu todo.

Bom minhas lindas e quanto á receita? Pois tem uma medida que é o olhometro?? Eu espero bem que sim, porque aqui em casa o pao é feito precisamente a olhometro... Mas vamos lá:

*1 kg de farinha de trigo
*30 gr de fermento de padeiro ou 1 pacote de fermipan
*Agua morna temperada com sal Q.B.
*1 a 2 colheres de sopa de açucar

Começo por desfazer o fermento no açucar.
Adiciono a farinha e aos pouco vou deitando a agua morna temperada com sal ate obter uma massa elastica e que vai desgrudando das maos.

Deixo levedar ate dobrar de volume e começar a fazer umas bolhinhas. (Para quem nao sabe, quando a massa está nesta fase, podem usar para fazer fermento biologico, tirando um pouco de massa para dentro de um recipiente e guardando em local fresco e seco, geralmente eu guardo no frigorifico e da proxima vez que for cozer pao tenho o fermento em casa ja pronto a ser usado)

Formei pequenas bolinhas que deixei levadar novamente até dobrarem de volume.

Levei ao forno bem quentinho e depois foi so esperar que cozesse e regalar-me com um belo cafezinho e um paozinho barrado com manteiga a derreter!!!

Que delicia!!!

Beijocas

Margarida

16 comentários:

Guloso e Saudável disse...

Bom dia Margarida,
Gostei muito destes dedos de conversa e gostaria de saborear o pão pois ficou muito apetitoso.
Boa semana, beijo,
Vânia

Rosinha Benvenga e Teresinha Putrini Bortolotto disse...

oi Margarida,pão saindo do forno com um cafézinho e tudo de bom,mas suas lembranças me levaram para o meu tempo de infância,ai que saudadessssssss bjs Rosinha

luci disse...

Margarida que maravilha de pàozinho adoro comer pào quentinho
Boa semana
beijos

Blog do Chocolate disse...

Que história tão bonita, querida amiga, adorei ler-te e saber mais sobre usos e costumes acerca do pãozinho...

Por sinal, esses pãezinhos ficaram uma tentação das grandes, lindos e com um aspecto delicioso ! :)

Beijinhos grandes

Isabel
www.blogdochocolate.com
http://brisa-maritima.blogspot.pt

Felismina disse...

É tão bom saborear um pãozinho acabado de sair do forno e se for feito por nós melhor ainda!
Uma boa semana amiga :)

Xana Bértolo disse...

Ai que delíciaaa :)
Adorei este pão!!
beijinhos

arte da sadhia disse...

oi minha linda que pãozinho divino né ..amiga vi o que aconteceu ao gatinho e vc consweguiu tirar tudo dele amiga ...fiquei com muita pena dele ..tenta sabão de coco em pedras amiga as vezes resolve com a minha belionha uma vez jpogaram e resolveu a minha é um poodle veja como tem gente malvada né mesmo ..bjão doces amiga boa semana

cristina fonseca disse...

O avô do meu marido trabalhou num desses moinhos :)
Já sabes o qto adoro pãosinho !!! E o teu é uma maravilha!!!
Beijinho doce amiga e boa semana!

Josy disse...

Que belo pão Portuleirinha, ficou muito bonito e super fácil de fazer. Margarida, li no face que seu gatinho sofreu queimadura de algum imbecil, ele está melhor? coitadinho, espero que sim. Bjocas

Fê Dayrell disse...

Delicioso, minha amiga, delicioso.
bjo

Paula Vieira disse...

Olá miguita, que rico pãozito, que nos trazes, até me cresceu água na boca, quentinho com a manteiga a derreter....hum...hum...


Beijocas
Paula Vieira

Andréa disse...

Olá minha querida!
Vim lanchar com vc, aqui é a hora do lanche, rsrs.
Seus pães estão lindos e apetitosos, belas fotos, bela receita, postagem nota 10!

Tenha uma semana super abençoada junto a sua família!
bjs ♥

Rosario Mota disse...

As minhas avós tambem coziam pão. Nunca percebi como a minha avó paterna tão pequenina e tão cfrágil consiguia amassar e cozer aquela deliciosa broa de milho.
Aqui na minha terra ainda temos moinhos a funcionar à moda antiga.
Desculpa a ausencia mas a mudança deixou-me exausta e agora só me apetece descansar.
Bjs

pedra de sal disse...

Que delicia... Adorava conhecer um sitio em Lisboa onde pudesse comprar farinha acaba de moer... Infelizmente faço pao semanalmente em casa, mas sempre com farinha de compra...

Catarina Sá - A Cozinha da Kinhas disse...

Minha querida, obrigada pela partilha desta sabedoria popular! Os antigos é que sabem, sempre ouvi a minha mãe dizer!
e os pães levo a receita pois era isto mesmo que eu procurava!

beijinhos

Josy disse...

Querida amiga, desculpe minha ausência, mas tenho tido problemas, e estou visitando aos poucos a todos. Vc sabe que falando na cruz que sua mãe faz nos pães, lembrei da minha mãe, ela tinha esse costume e os pães cresciam que era uma beleza. Gostei da história do burrico, tempos bons, como éramos felizes e não sabiamos né. Ficou lindo seu pão, com essa manteiguinha a derreter e um café seria muito bem vindo a essas horas. Gostei miga. Beijinhos