terça-feira, 23 de outubro de 2012

Portugal... O meu lindo pais na BC da Sheilinha

Queiram desculpar minhas queridas mas eu desta vez vou puxar a brasa á minha sardinha e vou apresentar o meu querido PORTUGAL!!! Eita país bem pequenino e cheio de coisas lindas de Norte ao Sul... Cheio de gastronomia tao variada, adorava poder ter aqui um pouco do muito que se faz de lés a lés... mas.. vou deixar o que ja tenho feito aproveitando algumas coisas do meu antigo blog e outras que fiz especialmente para este....

Localizado na Península Ibérica, Portugal é um pequeno país com muito mais para oferecer do que o seu tamanho possa aparentar. A muito elogiada Sintra, as praias do Algarve e Costa Vicentina - Sagres, Lagos, Albufeira e Vila Nova de Milfontes -, o Parque Nacional da Peneda-Gerês, a universitária Braga, o centro histórico do Porto, o rio Douro, a capital Lisboa e a linha de Cascais, a medieval Évora, as gravuras rupestres de Foz Côa, a encantadora Óbidos, as ilhas dos Açores, as praias de Porto Santo e as levadas da Madeira - motivos de sobra para viagens a Portugal.

As amigas que vieram visitar neste BC podem deliciar-se com essas maravilhosas sopas: 
Caldo verde


1,5kg de batatas
2 cebolas grandes
1,5 dl de azeite
sal Q.B
5-6 dentes de alho
1kg de caldo verde (couve galega cortada em juliana fininha)


Descascam-se as batatas, cortam-se em rodelas e levao-se ao lume numa panela com agua, de seguida acrecenta-se a cebola cortada em meia-lua, tempera-se com sal, e o azeite, aqui quem gostar e se quiser pode adicionar um caldo knorr de galinha, mas é opcional. Eu, enquanto a mistura do caldo verde coze, costumo arranjar as couves, uma vez que as tenho no meu quintal e vou la apanha-las, mas quem nao tem, compra as couves ja arranjadas, nao vos vou garantir que fique com um gostinho como o meu, uma vez que eu vou apanhar as couves na hora de as fazer. Quando a mistura estiver cozida, reduz-se a puré, acrescenta-se as couves, prova-se e se necessario retifica-se os temperos. Deixa-se cozer...

No final se quiserem podem acrescentar umas rodelinhas de um bom chouriço de carne e umas azeitonas....





Ou entao... 

Sopa da Pedra


Esta sopa tem uma lenda, eu no antigo blog tenho-a escrita, mas... amigas se eu vou passar para aqui fica um post que vcs amanha ainda vao estar a ler ehehehhe....


1/2 l de feijão-encarnado 
1 kg de orelha e cabeça de porco 
200 grs de entrecosto 
250 grs de carne de vaca para cozer 
100 grs de toucinho entremeado 
1 chouriço 
1 morcela 
1 couve-lombarda 
400 grs de batatas 
2 cenouras 
2 cebolas 
2 dentes de alho 
sal q.b. 
1 farinheira 
hortelã e coentros q.b. (facultativo) 

De véspera raspam-se e limpam-se bem a orelha e cabeça de porco, salgam-se juntamente com o entrecosto e põe-se o feijão de molho. No dia seguinte lavam-se as carnes e os enchidos e põem-se a cozer em água e sal. Separadamente, põe-se também o feijão a cozer em água. À medida que forem cozendo, vai-se retirando as carnes sucessivamente, para não se espapaçarem, visto que a carne de porco coze muito mais depressa que a de vaca, o mesmo acontecendo com a morcela em relação ao chouriço. Logo que se retirarem todas as carnes, juntam-se cortadas em pedaços, a couve, as cenouras, a cebola, os alhos picados, e algum tempo depois as batatas também em pedaços. Entretanto, escorre-se o feijão, do qual se retiram duas conchas que se passam no passe-vite. Quando os legumes estiverem cozidos juntam-se-lhe os feijões inteiros e os passados. Deixa-se ferver tudo para apurar e rectifica-se de sal. Cortam-se as carnes de porco e de vaca em bocados, os enchidos em rodelas e o toucinho em fatias. Deitam-se as carnes na panela e, logo que levantar fervura, adicionam-se os enchidos e o toucinho, servindo-se imediamente. Empregando a farinheira deve pôr-se a cozer juntamente com as carnes, tendo em conta que o seu tempo de cozedura é muito rápido. Temperando com coentros, devem deitar-se ao mesmo tempo que os legumes. Se for o caso de se empregar hortelã, basta juntar um ramo ao mesmo tempo que os enchidos. Por gracinha põe-se em cada prato uma pedra redonda, tipo seixo rolado do rio, mas previamente bem lavada.

De Valbom à Foz, o rio Douro entra em meio urbano e só sai quando se encontra com o mar. Acompanham-no as margens coroadas por um casario cada vez mais abundante, seis pontes e a incontornável Ribeira, ancoradouro de muitos barcos e ainda mais turistas. É uma dúzia de quilómetros planos por uma paisagem muito variada, que se percorrem facilmente a pé ou de bicicleta. Ou até de automóvel - mas não é a mesma coisa - falo claro do Porto.

Uma visita ao único Parque Nacional do país pode servir para encher os pulmões de ar fresco e os olhos de verde. E também pode revelar-nos a dimensão onírica da natureza, oferecendo-nos lugares que emanam encanto e mistério. Uma curta viagem ao Peneda-Gerês, em Portugal.


Apesar de não ultrapassar os 1.349 metros de altitude e de ficar entalada entre as mais imponentes Serras da Lousã e da Estrela, a Serra do Açor é um concentrado de beleza natural onde se destacam florestas, quedas de água e belas aldeias, como Piódão, Benfeita, Coja ou Foz d'Égua. Viagem à Serra do Açor, região centro de Portugal.

Após as sopas, passamos aos pratos principais, minhas queridas, eu peço perdao por nao ter nenhum prato de peixe ... mas procurei e procurei no outro blog e nada... nada de nada e aqui neste... prato tipico... so sardinha assada ehehehehe.... mas vamos para os de carne:

Chanfana (receita ja postada aqui no blog)


 Uma das zonas mais repousantes do Algarve é, sem 

dúvida, a região em volta da 

Ria Formosa, onde a vegetação 

de um suave verde 

mediterrânico se alia ao azul da 

água para desenhar uma dos mais belos 

quadros do país.

Montalegre parece terra conquistada ao 

lobo; as torres cinzentas do castelo 

medieval saem de uma paisagem agreste, 

de uma beleza selvagem, e vários são os 

percursos marcados nos arredores que nos 

fazem penetrar na natureza. Escolhemos o 

Trilho do Leiranco, percorrendo campos 

cultivados, pequenas florestas e aldeias de pedra quase 

desabitadas, com uma aura de mistério. Relato de uma caminhada 

nas Terras do Barroso.



 Um rosário de igrejinhas 

mimosas, pontes de pedra e 

calçadas romanas conduz-nos 

pelas paisagens verdes e 

humanizadas do vale do Sousa, 

de Felgueiras a Lousada e de 

Penafiel a Castelo de Paiva. 

Velhas torres e mosteiros 

espreitam por entre bosques e campos de vinhas num concentrado 

de natureza e cultura que não é fácil de encontrar.

Pode fazer sol, que a floresta abriga os viajantes. Pode estar 

sombrio, que as árvores protegem os andarilhos. Estes são 

caminhos que todos podem percorrer, e garantem um dia inteiro 

entre a história e a natureza de Sintra. Uma caminhada pelo trilho 

dos Castelos, do Palácio da Pena ao Castelo dos Mouros, na serra 


de Sintra.

Suaves e discretas, são os 

adjectivos que melhor assentam às 

paisagens protegidas pelo Parque 

Natural do Tejo Internacional. 

Partilhado com Espanha, o rio 

serpenteia entre colinas cuja fauna 

e flora merecem protecção 

especial.

É com os tons de Outuno que a Mata de Albergaria - e em 

especial a chamada Geira Romana -, área de reserva integral do 

Parque Nacional da Peneda-Gerês atinge o auge da sua beleza. 

Num cenário propício a longos trekkings ou pequenas 

caminhadas, os 318 quilómetros da Via Nova oferecem um 

património arqueológico ímpar para quem goste, naturalmente, de 

andar a pé.

RANCHO

Comida tipica aqui da zona de Viseu, mas espalhada ja essa tradiçao pelo nosso pais, é um prato composto por carnes de porco e enchidos, onde se mistura cenoura, couve lombarda, massa e grao, é bastante completo, mas eu confesso que quando o faço aqui em casa retiro os enchidos e coloco mais carne de aves , este foi feito com carne de porco.


Usei orelha de porco cozida, entremeada, costela.
Num tacho refoguei 2 cebolas picadas com 2 dentes de alho, 1 fio de azeite , 1 tomate maduro, 1 tira de pimento vermelho e 2 cenouras em rodelas. Quando a cebola ficou macia, acrescentei as carnes partidas em pedaços e 1 chouriço de carne em rodelas, miguei em juliana meio lombardo e acrescentei agua. Tapei o tacho e deixei levantar fervura. Temperei com sal e adicionei macarrao. Quando este estava quase cozido juntei o grao e deixei apurar mais ou menos 20 minutos... e voilá... um ranchinho a sair.


Feijoada
Aqui em casa toda a gente adora feijoes... mas... se fizer aquela feijoada tradicional que toda a gente conhece... enfim... a coisa ja se torna mais complicada, entao eu optei por a fazer diferente... é mto basica e mto simples e se calhar vcs nas vossas casas tb a fazem assim...


1kg de febra de porco inteira
2 chouriços de carne (eu hoje nao utilizei de carne foi dos corrente, porque nao tinha em casa e como era domingo tb nao tinha onde ir comprar, mas claro que o chouriço de carne da sempre um sabor mto melhor á comidinha)
1 couve lombarda
4 cenouras
3 folhas de louro
7 dentes de alho
Ervas aromaticas a gosto q.b.
1 cebola
0,5 dl de azeite
2 frascos de feijao vermelho cozido
2 tiras de pimento.
2 folhas de louro


Coza a carne e os chouriços na panela de pressao por 40 minutos em agua temperada com sal, 4 dentes de alho, 1 folha de louro, 1 tira de pimento, oregaos e coentros moidos a gosto. 
Decorrido esse tempo retire a carne. Reserve. 
Na mesma agua onde cozeu a carne coza a couve e 3 cenouras.
Prepare o refogado do feijao. Pique a cebola e os dentes de alho para um tacho, adicione o azeite, os oregaos e coentros a tira do pimento e a folha de louro, tempere com sal e pimenta e deixe refogar em lume brando por 10 minutinhos.
Findo esse tempo adicione os feijao ao refogado, junte a cenoura cortada em rodelas e regue com 1 dl de agua. Deixe ferver em lume brando ate apurar. Retifique os temperos e sirva acompanhado da carne fatiada,a couve e as cenouras.

Aqui em casa nao podia deixar de haver tb o arrozinho branco que os meus filhos tanto gostam


Tigelada

Doce tipico aqui da minha santa terriola, antigamente fazia-se muito nas festas e casamentos, nao poderia jamais faltar, comido bem fresquinho é uma verdadeira delicia para as papilas gustativas... Espero que aprovem tb:


1 Litro de leite (de preferencia gordo, embora eu use o meio gordo)
8 Ovos
1 Limao, raspa
8 Colheres (sopa) de açucar, 1 colher de açucar por cada ovo, se quiser mais doce adicione um pouco mais.
Canela Q.B (opcional) eu nao costumo colocar



Bata os ovos com o açucar a raspa de limao e a canela caso a adicione. Depois de tudo bem ligado adicione o leite e volte a bater, cuidado porque vai-se formar uma espuma e pode levar a que a mistura saia para fora da bacia, (convem que esta seja funda).
coloca-se a tigelada nas formas de barro ( ha umas formas de barro vermelho, nao sao bem formas, aqui chamam-se tachos de barro, proprios para a tigelada, eu nao usei esses, porque os meus sao mto grandes,tb ha quem faça nas formas de aluminio, eu pessoalmente nao gosto, uma vez que a tigelada vai perder todo o sabor que lhe é original, coloquei esta nos meus coraçoes de barro refractario e o objectivo foi conseguido da mesma forma, embora claro perca toda a sua tradiçao, eu heide tirar fotos dos tachos que vos falo), e leva-se ao forno bem quente (eu ponho o meu electrico no maximo) até que a tigelada se encontre cozida e bem moreninha por cima, para ver se ela está cozida, faça o teste do palito, no caso de achar que se está a queimar coloque um pedaço de papel aluminio em cima dos tachos e continue a cozedura!!
Sirva bem gelada!!!



 Com uma costa fluvial e marítima tão bela como extensa, Gaia 

oferece ao visitante cerca de vinte quilómetros de caminho 

pedestre apoiado por pequenos cafés e restaurantes de praia. 

Chama-se Linha Azul e permite a qualquer instante uma 

interrupção para um mergulho ou um café - é só escolher a praia. 

Relato de uma caminhada pelo litoral de Vila Nova de Gaia, norte 

de Portugal.

Apetece o Verão em praias bonitas, onde as dunas altas pedem 

passeios de fim de tarde. Para uma Primavera ou um Outono 

tranquilos, recomenda-se a costa litoral entre a Apúlia e 

Esposende.

A pé ou de bicicleta, este percurso ao longo do rio Minho 

recupera o traçado da linha férrea e mostra-nos a paisagem à qual
deu o nome, as suas sombras frescas e a fartura de água, os 

vinhedos de Alvarinho e antigos casarões de pedra. Viagem pela 

ecopista entre Monção e Valença, ao longo do Minho.

Em Leomil, bem pertinho de Moimenta da Beira, podemos subir a 

serra em pouco tempo para uma vista sobre vales e aldeias 

longínquas. E mais ao perto há pastores, rebanhos, e sinais pré-

históricos de que o homem já por aqui andava há milhares de 

anos.

Uma das mais bem preservadas vilas amuralhadas de Portugal, 

Óbidos é ponto de paragem obrigatório para quaisquer viagens em 

território luso, com as suas casas caiadas de branco, o empedrado 

das ladeiras, as muralhas e o Castelo de Óbidos, o charme e 

romantismo de um pequeno tesouro português, estas são fotos de 

uma viagem intemporal a uma povoação encantadora, no distrito 

de Leiria.

Fonte: Alma de viajante - Jornalismo de viagens

E para terminarmos em beleza nada melhor que saborear um 

cafezinho com os nada mais, nada menos tradicionais pasteis de 

nata, muito parecidos com os afamados pasteis de belem, podem-

se comer quentes (uma verdadeira tentaçao com montanhas de 

canela), mornos ou frios, um pastel de nata sabe sempre bem no 

verao ou no inverno!

Pasteis de nata



2 placas de massa folhada de compra
4 gemas
100 gr de açucar
1 pacote de natas
2 cascas de limao
1colher de sopa de amido de milho


Forram-se forminhas de aluminio com a massa folhada.

Num tacho coloca-se o açucar, as gemas, as natas, as cascas de limao e o amido de milho. Mexe-se muito bem e leva-se ao lume ate engrossar.

Recheia-se a massa folhada com este preparado e leva-se ao forno 15 minutos a 250º.

Comem-se polvilhados de muita canela acompanhados de um cafezinho e uma prosa bem gostosa.


Esta é a minha participaçao na BC dos paises de A a Z e claro participei com o que conheço melhor ... Portugal!!!

Espero que tenham gostado e que tenha sido a anfitreã perfeita para as vossas viagens e estadias pelo meu pais!!

Sheilinha... Espero que gostes!!!

Mega beijocas do tamanho do infinito e mais alem


21 comentários:

são33 disse...

Um boa escolha da cozinha portuguesa, tanta coisa boa.
Gostei do post.
bjs

Guloso e Saudável disse...

Bom dia Margarida,
Este menu são vários deliciosos banquetes, a maioria dos pratos conheço, outros são novidade, parabéns pelo bem elaborado post.
Beijo,
Vânia

Prata da casa disse...

Margarida: ia-me dando "um treco" ao ver tanta delícia junta.Penso que representaste muito bem a gastronomia do nosso país e as suas maravilhas.
Bjs minha amiga
Márcia

Natércia disse...

Margarida linda Flor do meu jardim!
Hoje gostei muito de tudo o que colocaste na tua receita és sem sombra de dúvida uma cozinheira de mão cheia fiquei mais deliciada ainda com todas as descrições que fizeste ao longo do teu poste...e Vila Nova de Milfontes a minha terra mais linda e como a gente diz terra das três mentiras e sabes por quem?
Um beijinho muito grande e mais Alem.

Blog do Chocolate disse...

Querida Margarida,

Uma publicação excelente acerca do nosso querido Portugal !!

com uma das gastronomias melhores do Mundo, tu realças alguns dos nossos pratos típicos que são uma explosão de sabor, aroma e cores...

Adorei os relatos, adorei as fotos, estás de parabéns !

Um grande beijinho

Cozinha de Mulher disse...

Amiga linda.. como não gostar?
Enquanto eu fazia meu post eu pensei.. com certeza minha amiga nos dará aquela aula linda que ela costuma nos dar quando participa da BC, por isso eu apenas falei de Portugal do jeito que gosto..
Aliás eu adoro.. porque de uma forma linda eu sei que temos um pouco de vocês... dos seus costumes.. de seus gostos..
Vou te contar que tenho uma admiração enorme pela Princesa Isabel, uma portuguesa que viveu muito além do seu tempo na minha opinião...
Gosto também de ler a história do descobrimento.. e de como eram as coisas por aqui a mais de 500 anos atrás...
Mas eu sou suspeita a falar né amiga? Porque adoro uma Portuguesa linda que mora aí nesse país maravilhoso..
Aliás no meu cantinho recebo algumas portuguesinhas que são muito adoráveis..

Ai amiga já falei demais em? Me mande calar rsrs
Amei sua participação e amei saber que está a viajar conosco.. é sempre muito bom tê-la aqui.
Um mega beijo no seu coração viu?
Sheila

Camila Mesquita disse...

Bom dia Margarida! C
laro que vc tinha que puxar a sardinha para seu querido e lindo país! Que viagem maravilhosa vc nos proporcionou... Cada comida de dar água na boca... Um lugar mais encantador que o outro... Juro pra vc que um dia vou pessoalmente conhecer essas maravilhas que estão do outro lado do oceano!
Adorei... Parabéns amiga!
Beijo grande!

Andréa disse...

Amiga,
que banquete!
Obrigada pela hospitalidade tudo perfeito!
O seu país é lindo e tem receitas maravilhosas!

Beijinhos, fica com Deus!

Sabor no Prato disse...

Olá Margarida!! Que post caprichado, quantas comidinhas deliciosas!! Gostei muito. Tenho muita vontade de conhecer Portugal.

Abraços, Fabiana.
www.sabornoprato.com

Rita disse...

·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿
Olá bom dia de alegria, vim ver vc
estava com saudades, e já vejo tantas
delicias por aqui que bommmmmmm, tenho
muita vontade de experimentar esse caldo
verde, já anotei a receita, deve ficar um
muito bom, parabéns pela bela postagem
Abraços com carinho
·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿
Rita!!!!

Papoila disse...

Isto é pecado... tanta coisa boa num post só.
Mas não podias representar melhor a gastronomia portuguesa. Bjs

Carminha disse...

Nossa, qtas delicias...
Adorei
www.fazergourmet.com.br

luci disse...

Que maravilha de pratos eu estou com vontade de experimentar todos ,eu adoro esse pastel de nata tem uma confeitaria aqui que vende e já é muito bom imagine os seus deve ser divino
beijos

Rosinha Benvenga e Teresinha Putrini Bortolotto disse...

oi Margarida,hoje vc arrasou nas receitas,também com tantas visitas ao seu Pais,bjs Rosinha

Ana Claudia disse...

Maninha morena, dessa vez vc nos esperou em casa com um banquete, essa chanfana me chama a atenção desde que publicou, o rancho que ainda não preparei..rsrs... Só coisa boa, volto com vários quilos a mais virtualmente, qdo for pessoalmente, nem sei como será...kkkkkkkkkkkkkkkk
Beijinhos
Aninha

Catarina Sá - A Cozinha da Kinhas disse...

Margarida com tanta coisa boa nem sei por onde começar! Foste uma óptima anfitriã :)

beijinhos

cristina fonseca disse...

Margarida ... amiguinha do meu coração ... Quantas coisas boas!!!! O nosso país é mesmo recheado de deliciosas iguarias !

Beijinhos grandes com saudades :)

Josy disse...

Margaridinha, mas claro que a letra P teria que ser com seu País de coração. Está certissima, e a terrinha pode ser pequena como disse, mas é repleta de delicias hem! Amo caldo verde, sou louquinha por pasteis de nata, adorei esse prato Rancho esse não conhecia, todas as receitas que colocou aqui são muito saborosas. Adoro a culinaria portuguesa, minha vizinha legitima portuguesa que morava ao lado da minha casa em São Paulo, fazia uns doces maravilhosos e umas comidas de cair o queixo. Adorei seu post amiga, gostei por ter prestigiado esse lindo país que acima de tudo tem pessoas maravilhosas como vc. Beijinhos

Paula Vieira disse...

Já engordei 5 Kg, só de ler o teu post amiga.

Muito bem, puxou bem a brasa à sua sardinha, só faltou ela mesmo, -a sardinha- que eu adoro.

Beijocas

Paula

Léia disse...

Oi Margarida, temos mesmo que amar o nosso país, afinal é a nossa pátria, nossa casa, nossas raízes.Todo país tem sua riqueza seja culinaria, cultural, etc.Portugal realmente é muito rico em sua gastronomia.Adoro muitas receitas feitas por "patrícios", conheço alguns e ja trabalhei com outros, rsrs.Esse caldo verde é muito apreciado aqui no Brasil em dias frios.Se vende até em festas de igrejas.O bacalhau dispensa comentários, amo.Os pasteizinhos de belém é vendido em um restaurante árabe aqui em São Paulo.Temos muitas receitas portuguesas apreciadas por aqui.Temos quiosques de comidas típicas de Portugal no mecado municipal central.Pasteis de Santa Clara, etc.Parabéns por amar seu país e parabéns pela seleção de receitas.Beijos querida e me desculpe pelo texto grande, me empolguei.Rsrs.

Ratatuis disse...

Que espectáculo de pais temos mesmo; D. Margarida! Parabéns pela lembrança de o apresentar a quem visita o seu blog.