quinta-feira, 23 de junho de 2011

Sopa Da Pedra á Minha MAneira

          A receita que vou postar agora, tem uma lenda lindissima, que eu vou contar-vos (se calhar mtas de vcs já a conhecem principalmente quem vive na zona do Ribatejo):

          Um frade andava no peditório. Chegou à porta de um lavrador, não lhe quiseram aí dar esmola. O frade estava a cair com fome, e disse : 
Vou ver se faço um caldinho de pedra … 
E pegou numa pedra do chão, sacudiu-lhe a terra e pôs-se a olhar para ela, para ver se era boa para fazer um caldo. A gente da casa pôs-se a rir do frade e daquela lembrança. Perguntou o frade :
Então nunca comeram caldo de pedra? Só lhes digo que é uma coisa boa. 
Responderam-lhe :
Sempre queremos ver isso! 
Foi o que o frade quis ouvir. Depois de ter lavado a pedra, pediu :
Se me emprestassem aí um pucarinho… 
Deram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e deitou-lhe a pedra dentro.
Agora, se me deixassem estar a panelinha aí ao pé das brasas… 
Deixaram. Assim que a panela começou a chiar, tornou ele :
Com um bocadinho de unto, é que o caldo ficava um primor! 
Foram-lhe buscar um pedaço de unto. Ferveu, ferveu, e a gente da casa pasmada pelo que via. Dizia o frade, provando o caldo :
Está um bocadinho insosso. Bem precisava de uma pedrinha de sal. 
Também lhe deram o sal. Temperou, provou e afirmou :
Agora é que, com uns olhinhos de couve o caldo ficava que até os anjos o comeriam! 
A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves tenras.
O frade limpou-as e ripou-as com os dedos, deitando as folhas na panela.
Quando os olhos já estavam aferventados, disse o frade :
Ai, um naquinho de chouriço é que lhe dava uma graça… 
Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço. Ele botou-o à panela e, enquanto se cozia, tirou do alforje pão e arranjou-se para comer com vagar. O caldo cheirava que era uma regalo. Comeu e lambeu o beiço. Depois de despejada a panela, ficou a pedra no fundo. A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou:
Ó senhor frade, então a pedra? 
Respondeu o frade :
A pedra lavo-a e levo-a comigo para outra vez. 
E assim comeu onde não lhe queriam dar nada.






Ora bem, agora a sopa da pedra á minha maneira:

INGREDIENTES:

  • 1 Frango
  • 1 bocado de bacon
  • 1 chouriço de carne
  • 4 costoletas
  • 1 litro de feijao manteiga vermelho
  • 1 couve lombarda
  • 2 cebolas
  • 4 dentes de alho
  • Coentros e Piri-piri Q.B.
  • 7 batatas
  • 3 cenouras






PREPARAÇAO:
Cozem-se as carnes (eu costumo cozer na panela de pressao). Vou entretanto preparando os restantes ingredientes, corto as batatas em quartos finos, as cenouras em rodelas, passo no passevite metade do feijao e reservo o restante inteiro, corto o repoulho bem fininho. Quando as carnes estiverem cozidas, retiro-as da panela e na sua agua coloco o feijao passado, as cebolas cortadas em meia - lua, os alhos picados, os coentros e piri-piri e as cenouras, deixo ferver um pouco e adiciono o sal a gosto, deixo tomar um pouco de gosto e adiciono as couves, quando estas estiverem a ferver ja ha um bocado, adiciono as batatas e o feijao que reservei inteiro, deixo ferver ate que todos os ingredientes estejam cozidos. Numa terrina coloco as carnes partidas aos bocados. Retifico os temperos da sopa deixo ferver mais um pouco e deito a sopa na terrina por cima das carnes, serve-se quente.

(esta sopa para mim tem uma variante maravilhosa, é que ela é mesmo boa no dia a seguir á sua realizaçao, uma vez que os sabores estao mais apurados)

Espero que gostem e se deliciem com a minha receita, aqui em casa adoram!!!!



11 comentários:

Andréa disse...

LINDA HISTÓRIA MARGARIDA, UMA BELA LIÇÃO!
E A SUA SOPA FICOU BOA D+!

BJS.......

Lina disse...

Olá, Margarida!A história dessa sopa é realmente muito bonita e a sopa é deliciosa, bem reconfortante.
Beijinhos

Duxa disse...

Margarida, adorei a lenda e claro está, a sopa, mesmo sem a provar, acho que consegui sentir-lhe o cheirinho e o sabor...é das minhas sopas preferidas.
Beijocas grandes.

são33 disse...

JÁ CONHECIA A HISTORIA E ACHO LINDA.
QUANTO A SOPA E´ÓTIMA.
BJS

Maísa disse...

Frade espertíssimo esse hein?!
E a sopa, adooorei essa super sopa substanciosa...realmente fiquei com vontade de provar, deve ser deliciosa!beijkas

Elsa disse...

Já conhecia a lenda, é muito linda.
Eu adoro sopa da pedra, vou guardar a tua receita.
Beijocas

Josy disse...

Margarida minha querida, hoje foi uma correria qui em casa só consegui sentar as 7 horas da noite pra visitar as amigas, agora são 10 da noite e vc deve estar dormindo mas vim ver a sua sopinha sem pedra, que deve ter ficado maravilhosa, mas a lenda é muito bonita, um pouqinho disso,um pouquinho daquilo se fez uma bela sopa, assim como a sua. Muito boa...bjokas querida

Diana disse...

kkkk
adoro essa história. E o seu deve ter ficado melhor que o do frade.

Maria do Tacho disse...

Eu provei um aúnica vez a sopa da pedra e adorei...! é um adelícia...
Bjs
Bom fim de semana!
Bjs
Maria

Maria Tereza Maranhão Stoco disse...

OI Margarida!!Que sopinha deliciosa !!!HUmmm e com uma historinha otima para acompanhar !!:) Beijos Tereza

argas disse...

É uma sopa que faz uma refeição! Deliciosa! bjinhos